“Sister companies” meet again in Brazil

Brazilian and British actors meeting at the headquarters of the “Casa das Fases” during a lunch in November 2011.

The “Casa das Fases” – Center for Art and History with ladies -receives 23-30 August the English director of Entelechy Arts, David Slater, for a series of activities between the two theater companies, which has a partnership since 2010. Both groups performed cultural projects related to seniors, and to plan the 2013 presentation of the play “The Tempest” (W. Shakespeare) in London with British and Brazilian actors. The filmmakers Adriana Rouanet (Colibri Global) and Luciano Vidigal, which record the adventure from the beginning between Brazilians and Brits, also accompanied the visit of David Slater in Londrina. They produce the documentary “The Stuff of Time / Tempo tempo Tempestade”.

photo Ella Melo

Anúncios

Casa participa de forum shakespeare no RJ e recebe Entelechy em Londrina

O grupo teatral da Casa das Fases participa de 20 a 23 de novembro do Forum Shakeaspere no Rio de Janeiro. O encontro é uma iniciativa do People’s Palace Projects com patrocínio do British Council e faz parte das celebrações dos 25 anos do Grupo Nós do Morro e da Casa das Fases.

A Casa das Fases foi criada em 1986 em Londrina pelo diretor João Henrique Bernardi. Atualmente o grupo é formado por 10 atrizes com mais de 60 anos que realizam projetos ligados ao teatro e ao envelhecimento. A Companhia apresentou-se em seis países e diversas cidades do Brasil.

Dentro da programação do Fórum, a Casa das Fases e sua “companhia-irmã” Entelechy Arts, de Londres, participam de um workshop com Cicely Berry, da  Royal Shakespeare Company (RSC), uma das mais prestigiadas companhias teatrais britânicas do mundo. Um dos objetivos do encontro é trabalhar trechos da peça “A Tempestade”.  Os grupos planejam reunir os atores brasileiros e ingleses, que encenarão uma das últimas peças escritas por Shakeaspere.

No dia 23 de novembro, todos se reúnem para uma apresentação e um debate no teatro da Academia Brasileira de Letras, integrando os atores do  Nós do Morro, Casa e Entelechy.

Em seguida, de 24 a 28 de novembro, o grupo Entelechy viaja para Londrina para um intercâmbio  com ensaios, confraternizações e reuniões para definir as etapas da montagem.

Maturidade a servico do teatro

Cia. Casa das Fases exporta método de trabalho com a terceira idade

FABRÍCIO ADDÊO RAMOS, ESPECIAL PARA O ESTADO – O Estado de S.Paulo

O reconhecimento internacional do trabalho com atores da terceira idade leva uma companhia de Londrina, no Paraná, a realizar intercâmbio duradouro com organização do Reino Unido.

Casa das Fases é um núcleo de trabalho da Companhia de Theatro Fase 3 de Londrina. Completando 25 anos agora em novembro, a trupe comemora a maturidade exportando suas metodologias de trabalho. Com destaque para o projeto iniciado em agosto no Brasil e setembro no Reino Unido que será concluído com a montagem de A Tempestade, de Willian Shakespeare, no Brasil e no Reino Unido em 2013.

O intercâmbio inclui a produção de um cabaré virtual realizado simultaneamente nas duas companhias e transmitido pela internet. O projeto conta com a parceria de um dos grupos de teatro mais tradicionais do mundo, como relata o diretor da Casa das Fases, João Henrique Bernardi. “O diretor da Entelechy Arts, David Slater, realizou algumas reuniões com representantes da Royal Shakespeare Company e nosso projeto foi aceito.

leia a matéria na íntegra :

 http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,maturidade-a-servico-do-teatro,777248,0.htm

Casa das Fases se apresenta na Suecia e Inglaterra

"Equal" será apresentado em Lund, Malmo e Londres

 

 
A Cia de Theatro Fase 3 comemora em novembro 25 anos de teatro. Para celebrar as “bodas de prata” diversas atividades estão programadas até o final do ano. Agora em setembro, quatro integrantes do grupo viajam no dia 19 para apresentar duas peças e ministrar workshops na Suécia e  Inglaterra. 
 
Durante 15 dias o grupo percorrerá três cidades da Suécia (Lund, Malmo e Veberöd) e Londres, na Inglaterra.  Será apresentado o Projeto Black Box, a peça Equal e o workshop “Little Boxes”.
De 22 a 25 de setembro a Cia participa do festival de teatro  ”Den tredje åldern” (A Terceira Idade) promovido pelo Teater InterAkt. Trata-se do primeiro festival de teatro no País voltado para as questões do envelhecimento. 
 
Apresentaremos por dois dias, durante quatro horas, o Projeto Black Box – uma Caixa Preta feita para um ator e um espectador em sessões de cinco minutos.  As atrizes Jandira Testa (75)  e Carmen Mattos (79) interpretam poemas de Adélia Prado.  A Caixa foi criada em 2006 pela Casa das Fases e já percorreu diversas cidades do Brasil. Em 2009 foi apresentada na Dinamarca durante o VI Transit Festival promovido pelo Odin Teatret e agora, em fevereiro de 2011, em Porsgrunn, na Noruega, como parte da programação do “RustFritt Festival” .
 
Também será mostrado o work in progress “Equal” (30 min) inspirado na história das gêmeas siamesas Maria e Rosalina que no ano de 1900 foram separadas cirurgicamente pelo médico Chapot Prevost. A peça foi apresentada na Dinamarca, São Paulo e Minas Gerais.
 
A Cia de Theatro também ministrará o workshop “Little Boxes” para os participantes do Festival. Um trabalho de 3 horas utilizando a metodologia de pesquisa grupo através das Caixinhas de Memórias – um projeto de oficinas de teatro que existe desde 2002.
 
Em seguida os integrantes da Casa das Fases viajam para Londres para um encontro com sua companhia-irmã  “Entelechy Arts”. Os grupos mantém projetos em parceria desde 2010. O encontro terá o intuito de aproximar e consolidar parceiras importantes, como a montagem da peça “A Tempestade”, de Shakespeare, unindo os 20 atores de ambas as companhias, numa turnê Brasil e Inglaterra para 2012/13. A Casa também apresenta  “Equal” no Albany e ministra um wokshop em parceria com o Entelechy no SouthBank Center. 

filme aborda influencia inglesa em Londrina


Os produtores do documentário também registraram as atividades da Casa das Fases que realiza projetos culturais com a sua companhia-irmã, Entelechy Arts, de Londres.

Prefeito Barbosa Neto participa do documentário, produzido por Adriana Rouanet, com depoimento sobre ações que estão resgatando a influência inglesa na cidade

O prefeito Barbosa Neto gravou ontem (22), durante 15 minutos, um depoimento para a produtora Adriana Rouanet, filha do ex-ministro da Cultura, Sergio Paulo Rouanet, que está produzindo documentário sobre a viagem dos ingleses a Londrina e a participação deles na construção da cidade.

A gravação do depoimento foi realizada no Museu histórico Padre Carlos Weiss, que foi a antiga Estação Ferroviária de Londrina. De acordo com a produtora, o documentário poderá ser apresentado pelo canal inglês BBC.

Segundo a produtora, além da história da cidade, o interesse nasceu, ao conhecer o projeto da administração de resgatar alguns símbolos ingleses como as cabines telefônicas, ônibus e espalhar esses símbolos de Londres pela cidade de Londrina.

Durante a sua entrevista, o prefeito falou do surgimento de Londrina, com a influência dos ingleses e do projeto das cabines inglesas, que estão sendo instaladas pela Sercomtel desde 2009, com uma estrutura de 1,10m de largura e 2,50m de comprimento. Já são nove implantadas em diversas localidades, como calçadão, Prefeitura, a Catedral Metropolitana e em frente à Acesf, na avenida Juscelino Kubitschek.

Barbosa Neto também abordou a padronização dos táxis na cor vermelha, que representa o retângulo da bandeira londrinense e presente na cruz e nos ramos de café constantes no brasão; e, no projeto desenvolvido em parceria com a Viação Garcia, para um ônibus de turismo interno modelo Double Decker, de dois andares.
O prefeito entregou, para Adriana Rouanet, cópias de cartas escritas originalmente por George Craig Smith, funcionário da Cia de Terras e chefe da primeira expedição às terras que viriam a ser Londrina. A primeira fala da malograda visita do príncipe inglês, que deveria ter chegado até Londrina, mas que não conseguiu passar de Cornélio Procópio por causa das chuvas. A segunda fala da visita de Mister Thomas e, também, do General Asquith, diretores da Companhia, a Londrina.

Barbosa ainda entregou o projeto do ônibus e cópias de mapas da cidade, em 1938 e 1939, com o desenho da Praça Marechal Floriano, ao lado da Catedral, que, para muitos, remete ao desenho da Bandeira Inglesa.

O prefeito comentou ainda que recebeu, durante as comemorações do aniversário de 75 anos de Londrina, em 10 de dezembro de 2009, o embaixador britânico, Alan Chalrton, e o cônsul geral britânico em São Paulo, Paulo Martin Raven. Eles vieram prestigiar a inauguração das duas primeiras cabines telefônicas construídas nos moldes ingleses.

(Fonte: Núcleo de Comunicação/Prefeitura de Londrina)

sister companies

 

The Little Box of Memories pilot project is inspired by the methodology of Entelechy’s Brazilian sister company Casa Das Fases. Older performers from Entelechy have built little portable theatre boxes which contain objects that act as prompts to stories from people’s childhoods in the 1940s and 50s. It’s an extremely portable and engaging form of one-on-one theatre. The elders company have been trying out the idea giving performances in local primary schools, Bellingham Summer Fete and in The Clore Ballroom at Southbank Centre.

“A wonderful and unique contribution to the life of our school. It was brilliant. It was fantastic.”

 

Casa das Fases and Entelechy: the boat adventure.

David Slater, Diretor do Entelechys Arts, organizou um agitado e emocionate plano de trabalho para a residência artística do diretor da Casa, João Henrique.

Na foto, os atores de David apresentam a performance “The Big Chair Dance” em um barco pelo rio Tâmisa em Londres para o artistas e convidados do Programa Pontos de Contato .

casa das fases em londres

O Entelechys Arts, da Inglaterra, apresentou a performance “Little Boxes” em julho, durante o Brazil Festival promovido pelo SouthBank Center durante o verão londrino. A Casa das Fases e o Entelechys  iniciaram em abril um intercâmbio de experiências e metodologias.

Nas fotografias, as atrizes do diretor David Slater apresentam as delicadas caixinhas para o público do Festival. Ao fundo, as imagens das perfomances “little boxes” brasileiras. David esteve por duas semanas no Brasil e pode conhecer o trabalho que a Casa desenvolve. Em outubro é a vez do diretor João Henrique realizar uma residência artística na Inglaterra.